A formação mais procurada no Mundo.

IoT: Rastreamento de animais domésticos será uma tendência no Brasil

foto_ramos-120x120 IoT: Rastreamento de animais domésticos será uma tendência no Brasil Notícias rastreamento de animais IoT Internet das coisas

Ramos de Souza Janones

Janones, é um empreendedor brasileiro apaixonado por empreendedorismo e tecnologia. Ao longo dos anos trabalhando com o desenvolvimento de softwares desktop desde a linguagem Clipper, passando pelo Delphi e atualmente com Java.

Optou pela formação de Publicidade e Marketing por sua segunda empresa de tecnologia ter participado do "boom" da internet nos anos 90 e na procura de melhorar seus conhecimentos em negócios.

Em razão da principal formação e profundos conhecimentos em programação e banco de dados, é capaz de realizar o desenvolvimento de aplicativos web, desktop e mobile com maior criatividade e inovação que profissionais de desenvolvimento com uma formação única e mais especifica, dedicada somente ao desenvolvimento de softwares.

Com toda sua experiência com empresas de software, sua formação e paixão por negócios escreveu o livro "Marketing para Empresas e Profissionais de Software", publicado pela editora carioca Ciência Moderna em 2012. Além de outros livros sobre programação.
foto_ramos-120x120 IoT: Rastreamento de animais domésticos será uma tendência no Brasil Notícias rastreamento de animais IoT Internet das coisas

O Diretor Nacional de Vendas da Claro, Rogério Guerra, diz que o mercado mais real nos próximos três anos para a Internet das Coisas é o de smart grid. “São oitenta milhões de medidores inteligentes para usarem chips das operadoras. É oito vezes mais do que temos hoje em M2M”, disse o executivo, na sua participação na 15ª Rio Wireless, realizada nos dias 06 e 07 de maio, no Rio de Janeiro.

Outro mercado que tende a crescer muito é o rastreamento dos animais domésticos. “Nos EUA é uma tendência que cresce muito. E aqui não será diferente”, preconiza. Segundo ainda o executivo, as dificuldades para que as distribuidoras de energia possam usar chips nos seus serviços começam a ser resolvidas, mas há questões ainda pendentes, entre elas, a obrigação dos contratos com validade máxima de cinco anos.

“Como será possível trocar de operadoras em milhões de SIMCards. Não é possível. Isso é muito ruim para nós, operadoras, mas é a realidade que se desenha. permitir as empresas trocarem de operadora sem trocar de chip”, pondera. As parcerias público-privada também são uma grande oportunidade de negócios. Assistam a apresentação do executivo da Claro, Rogério Guerra.

Compartilhe.

PinIt
Top