Criptomoeda da Internet das Coisas: IOTA

Criptomoeda da Internet das Coisas: IOTA

10 de abril de 2021 0 Por Ramos de Souza Janones

IOTA é a grande promoessa de criptomoeda do futuro. Neste artigo tudo o que precisa saber sobre esta tecnologia e como investir.

Muito se fala de criptimoedas, em especial BitCoins e Etherium, mas uma moeda digital pouco falada no Brasil é o IOTA.

O objetivo da IOTA é se tornar a plataforma efetiva para executar transações entre dispositivos IoT. Estima-se que em 2024 pode haver em torno de 20.4 bilhões desses dispositivos. Isso pode se tornar um grande negócio.

Para entender a relevância do IOTA e, antes de falarmos sobre investimento no mesmo, devemos conhecer um pouco mais sobre o projeto em sí.

Recomendamos a leitura:
- 14 Hábitos de Desenvolvedores Altamente Produtivos eBook Kindle
- Kwai dá dinheiro aos usuários, como ganhar?

Lançamento do jogo Returnal para PlayStation 5
Guia de Compras em PC Gaming

O projeto IOTA e sua relevância para a nova Revolução Industrial 4.0

Pra que serve a IOTA?

Ajudar o mundo da Internet das coisas através de Impacto Social positivo, Mobilidade Urbana, Cidades Inteligêntes, Indpustria 4.0, Logística, Identificação com maior segurança e diversos outros benefícios deste protocolo.

Desde sua criação, a IOTA é focada em IoT e nos serviços que essa tecnologia demanda, como:

  • micro-transações e nano-transações: já que o sistema não cobra taxas, é bem prático enviar quantias muito pequenas de moedas para outra pessoa ou organização;
  • transferência de dados: o Tangle também consegue garantir um canal seguro de comunicação entre dispositivos, criptografando as informações da rede;
  • masked authenticated messaging (MAM): é um protocolo de comunicação que emite e acessa um fluxo de dados, como o RSS, de forma criptografada e garantindo a integridade dos dados;
  • votações: como a transmissão de dados é, em teoria, bem segura, dá para criar processos democráticos dentro do Tangle, como o de votação;

Existem diversas outras aplicações mais específicas que você pode conferir no site oficial da criptomoeda. No geral, todas partem do princípio de aproveitar um blockchain diferente e escalável, que transmite dados de forma segura, não precisa ser minerado e não cobra taxas.

 


O IOTA ganhou grande visibilidade na mídia Internacional recentemente depois de valorizar 800% em um mês, moeda virtual que promete ser “o próximo passo do blockchain”.  Ela se difere de outras criptomoedas por não usar blockchain; no lugar disso, foi desenvolvida uma alternativa chamada Tangle.

O Que Torna IOTA Única?

Essa alternativa, definida como “blockchain de próxima geração”, é bem complicada de entender pelo teor técnico. Resumidamente, o Tangle é um conjunto de grafos matemáticos que armazenam as transações. E, para uma transição ser validada, ela precisa aprovar duas transações prévias e garantir que elas não sejam conflitantes.

Ao contrário do blockchain comum, o consenso (e mineração) sobre as transações não precisa ser feito por usuários de fora; ele já é intrínseco ao sistema, o que teoricamente resolve os principais problemas do bitcoin, como alta latência e ineficiência energética.

Leia também:

Além disso, não há problema de escalabilidade porque, teoricamente, quanto mais transações, mais rápido o sistema roda.

Outra característica da criptomoeda é que ela consegue ser verdadeiramente descentralizada, já que não faz distinção entre usuários e mineradores; como o consenso já faz parte da existência do Tangle, todos os usuários são tratados de forma igual.

Bom, como mostramos mais cedo, o fato de ser efetivamente um blockchain sem blockchain é, no mínimo, bastante incomum .

O nome mais técnico de Tangle é o Directed Acyclic Graph — e como o Sønstebø explicou num blog em 2015, essa tecnologia busca manter a capacidade do blockchain e executar transações seguras. A única diferença é que faz sem a noção de blocos.

Ele também escreveu: “IOTA não deve ser considerada uma moeda alternativa (altcoin) para as criptomoedas existentes, como o Bitcoin, mas uma extensão do crescente ecossistema blockchain. Ela foi criada para funcionar em sinergia com outras plataformas, formando coesão e relações simbióticas. IOTA foi projetada para fornecer uma solução que nenhuma outra criptomoeda possui: microtransações eficientes, seguras, leves, instantâneas e sem taxas.”

As novas transações são validadas através da aprovação de duas transações anteriores vindas de outro nó — e esta é a abordagem inovadora, o que significa que o tamanho e a velocidade da rede estão diretamente relacionados com quantas pessoas estão usando a plataforma.

Além disso, enquanto algumas criptomoedas são geridas como uma empresa, a IOTA Foundation informa categoricamente que não visa fins lucrativos — acrescentando que ela possui o único objetivo de tornar a rede o mais próspera possível.

Livros que recomendamos a leitura:
- Programando com Kotlin
- Inspirado: como criar produtos de tecnologia que os clientes amam
- Data science para negócios

Técnicas de Invasão: Aprenda as técnicas usadas por hackers em invasões reais
Python Fluente: Programação Clara, Concisa e Eficaz

Como e onde investir em IOTA?

Normalmente, por ser capaz de alcançar diversas casas decimais e ser mais divisível que o bitcoin, a IOTA é negociada em MIOTA (milhões de IOTAs), da mesma forma que 1 MB equivale a 1 milhão de bytes. No momento em que escrevo este parágrafo, 1 IOTA vale US$ 0,00000309 e 1 MIOTA vale US$ 3,09.

Por isso, não estranhe se você ver a criptomoeda como MIOTA nas principais casas de câmbio que a negociam; é mais fácil vendê-la em milhões. As maiores exchanges são: BitfinexBinanceOKExCoinFalcon e Gate.io.

Para comprar IOTA/MIOTA no Brasil, com BRL, o método mais seguro é comprar BTC em exchanges populares como Mercado Bitcoin e Foxbit e depois trocar a moeda por IOTA nas maiores casas de câmbio.

Leia também:

Gostou deste artigo ou tem duvidas sobre o IOTA? Então comente neste artigo. E compartilhe!
0 0 votes
Article Rating