Como otimizar aplicações React?

Como otimizar aplicações React?

27 de maio de 2020 0 Por Ramos de Souza Janones
Powered by Rock Convert

Pontos Principais

  • Usar o React por si só não resultará em uma aplicação de alto desempenho. Se não tomar cuidado, pode aumentar o tamanho dela facilmente. É uma boa prática realizar auditorias periodicamente;
  • O Chrome DevTools oferece uma poderosa medição de desempenho para aplicações JavaScript. Aprenda a ler e entender os perfis de desempenho;
  • A divisão do código é fácil de ser configurada com o Webpack 4 e deve, definitivamente, ser usada para otimizar a aplicação;
  • Identifique onde longas listas de conteúdo são renderizadas e otimize-as com o react-window;
  • Entenda como o React funciona internamente. Isso ajudará a identificar renderizações desnecessárias e corrigi-las. Use a opção “Highlight Updates” no React DevTools para ajudá-lo nesta etapa;
  • Existem vários outros métodos para melhorar o desempenho das aplicações React, como o prefetching, o service workers, o bundle analysis, entre outros que reduzem o tamanho dos pacotes.

Desde sua introdução, há 6 anos, o React mudou a maneira como criamos aplicações web. Várias bibliotecas de interface do usuário, como Vue.js e Preact.js, foram desenvolvidas após o React. Bibliotecas existentes, como AngularDojo e Ember, atualizaram-se para otimizar a maneira como os updates do DOM são tratadas, cada uma criando sua própria maneira de otimizar o desempenho da renderização. Muitas bibliotecas e módulos npm foram criados em torno do React para facilitar o desenvolvimento. Hoje existem dezenas de milhares de pacotes referentes ao React no repositório do NPM. E estão sendo lançados novos, todos os dias.

Somos recém convertidos do React no Rocketium. Passamos por vários ciclos de mudanças de tecnologia, pois a empresa mudou de uma criadora de jogos em 2015 para uma empresa de criação de apresentações de slides em 2016 e posteriormente para uma rica plataforma de vídeos na segunda metade de 2016. A experiência com o React foi amor à primeira vista, e obtivemos rápidas vitórias na engenharia. No entanto, logo atingimos um limite de desempenho, pois passamos a utilizar o React em mais produtos. Por fim, tivemos que equilibrar o desenvolvimento de novos recursos e a criação da maneira já conhecida com o React. Como qualquer ferramenta, o React não é mágico e deve ser usado com cuidado para obter os melhores resultados.

Abaixo estão algumas das coisas que aprendemos que devem ajudar aqueles que estão considerando mudar para o React e aqueles que estão vendo as aplicações React rodando com certa dificuldade. Vamos nos aprofundar!

Nossa jornada com o React

A vida antes do React

A primeira versão do aplicativo web foi criada em 2015 com o Vanilla JavaScript, patchwork de utilitários e bibliotecas de UI. Éramos uma equipe pequena e manipular o DOM ou gerenciar o estado em funções individuais, foi suficiente para concluir o trabalho.

Dois anos depois, queríamos adicionar uma camada de colaboração e workflow (pense no Google Docs + Trello para vídeo). A equipe de desenvolvimento também cresceu, precisávamos de uma maneira melhor de adicionar recursos, garantir a testabilidade e evitar a imprevisibilidade de uma grande base de código mal estruturada. Parecia a hora certa de entrar, cuidadosamente, no ecossistema React.

Mudando para o React

O React foi uma escolha fácil, pois vinha com um fluxo previsível de atualizações para UI. O React não define bem o gerenciamento do estado da aplicação ou como lidar com o roteamento, por isso decidimos usar o Redux para o gerenciamento do estado e o React Router para o roteamento do lado do cliente.

Criar um aplicativo com o React é tranquilo, pois fornece uma ótima maneira de estruturar a interface do usuário em componentes, facilitando a visualização de como a interface do usuário funciona, inclusive fornece uma maneira mais fácil de reutilizar os componentes. Não tivemos boas experiências com o Redux no começo, mas nos salvou de muitas dores de cabeça no longo prazo.

LEIA TAMBÉM:  Torre de Hanoi - Como funciona essa solução recursiva?

Atingindo o limite da performance

O React lida com as atualizações da interface do usuário com eficiência, mas isso não o torna a aplicação web mais rápida. Precisávamos saber como funcionava, como o controle fluía dentro dos componentes e como atualizava o DOM. À medida que o aplicativo avançava, percebemos algumas desvantagens na configuração. Embora soubéssemos como o React funcionava e como o Redux gerenciava o estado, a aplicação tinha aumentado de tamanho. Começamos a notar falhas no carregamento. Estava na hora de reduzir a ignorância técnica e fazer melhorias de desempenho!

Abaixo estão algumas coisas que fizemos e o que esperamos fazer no futuro para melhorar o desempenho da aplicação.

Otimização de performance do React

Medindo a performance com o Chrome DevTools.

O primeiro passo da otimização é a medição. Somente após identificar os gargalos, podemos eliminá-los. O Chrome DevTools oferece poderosas medições de desempenho para aplicações React.

Otimização de performance do React

O Chrome Devtools mostra quais componentes são renderizados

Linhas vermelhas mostram picos no FPS

Atualização para webpack 4

Por um ano, usamos o Webpack 3 sem preocupação. Funcionou muito bem e não tivemos nenhuma queixa. O Webpack 4 não influencia diretamente no desempenho, mas atualizamos para facilitar a divisão de código. Infelizmente, o Webpack 4 mudou muitas APIs, tornando a transição um pouco mais desafiadora do que havíamos esperado. No entanto, essa mudança nos permitiu adicionar alguns detalhes ao workflow de desenvolvimento, como passar do CommonChunksPlugin descontinuado para o SplitChunksPlugin além de configurar a divisão de código.

Divisão de código

A configuração inicial não incluiu a divisão de código por padrão. Isso não era necessário quando o aplicativo era relativamente pequeno, com poucos componentes e lógica comercial simples. Com ritmo feroz de desenvolvimento de produtos com flags de recursos e testes A/B, muito mais componentes foram adicionados e o fluxo lógico ficou complicado. Colocar tudo isso em um único pacote estava travando o desempenho da aplicação.

Por que isso é um problema? Um pacote com muito mais código do que o necessário, será sempre maior do que deveria. O navegador analisará todo o código, independentemente de qual seção será carregada. Carregar um código extra significa downloads mais lentos e mais trabalho para o navegador, levando a tempos de resposta longos. Isso é muito mais perceptível em conexões lentas e hardware com baixo desempenho.

Para resolver esses problemas, configuramos a divisão de código baseada em rota usando o pacote npm react-loadable. Em seguida, passamos para o React.lazy e o Suspense apesar de não suportar a renderização do servidor no momento. Trocamos porque agora havia uma maneira integrada de lidar com importações dinâmicas.

Configurar a divisão de código com SplitChunksPlugin foi fácil. Foram necessárias algumas iterações para corrigir o número de blocos. O tamanho de pacote inicial para toda a aplicação era de 7 MB. Após a divisão do código, os pacotes configuráveis iniciais tinham um tamanho combinado de 230kb, uma enorme redução de 97% no tamanho dos pacotes da aplicação!

Como vender Software - Seja desktop, web ou MobilePowered by Rock Convert

Otimização de Long list

Existem alguns locais nas aplicações em que utilizamos Long lists, lista de fontes, faixas de música, imagens e clipes, modelos, gráficos em movimento, entre outros. Algumas dessas listas fazem chamadas HTTP em segundo plano e adicionam novos itens quando finalizadas, por exemplo, um scroll infinito. A maioria das listas na aplicação não fez isso e renderizou um grande número de itens.

LEIA TAMBÉM:  Repositórios Privados para seus Códigos e Projetos gratuito, tipo Github

A renderização desses itens estava sobrecarregando o navegador e vimos muitas falhas no carregamento. Para corrigir isso, usamos o módulo npm react-window, que fornece um componente de ordem superior que controla a renderização de listas longas. Não processa itens que não são imediatamente visíveis. Suporta carregamento lento, propriedades personalizadas e manipuladores de eventos. Isso nos deu renderização de lista a 60fps.

Reduzindo renderizações desnecessárias

As atualizações de estado geralmente acontecem em aplicações grandes e complexas. Algumas são assíncronas, como chamadas HTTP em segundo plano, e outras ocorrem após a aplicação da lógica de negócios. É bastante comum ver componentes renderizando várias vezes antes de qualquer interação do usuário. Cabe aos desenvolvedores detectar essas renderizações desnecessárias e evitá-las quando não forem necessárias.

Renderizações desnecessárias são renderizações de componentes que não precisam deste processo. É um problema em especial se as renderizações acontecerem nos componentes pai. Isso ocorre porque o React renderiza novamente todos os componentes em uma árvore quando o pai é renderizado. Isso causa processamento desnecessário.

A extensão React developer tool possui a opção “Highlight Updates” que usamos para encontrar os componentes que renderizam sem necessidade. Depois de identificar os componentes, corrigimos de duas maneiras diferentes.

  1. Usando shouldComponentUpdate para informar ao React que o resultado do componente não é afetado pela alteração de estado para controlar quando um componente deve ser renderizado novamente;
  2. Reorganizando a estrutura dos componentes e como as mudanças de estado acontecem. Esse é um processo mais envolvido e demoramos mais para identificar os componentes que são renderizados desnecessariamente.

Próximos passos

Temos vários objetivos para melhorar ainda mais o desempenho das aplicações num futuro próximo.

Utilizar React.PureComponent

React.PureComponent é semelhante ao React.Component. A principal diferença é que o PureComponent implementa o shouldComponentUpdate com uma comparação superficial. Diz-se que isso melhora o desempenho, mas vem com algumas consequências indesejadas.

Análise de compilação

Visualizar compilações é uma ótima maneira de entender o que ocorre nos pacotes. O analisador de pacotes Webpack mostra a separação de todos os pacotes gerados para a aplicação em uma página da web interativa. O Webpack também permite definir orçamentos de desempenho para que possamos saber quando ativos e pacotes configuráveis excedem os limites de arquivo. Também podemos identificar e remover códigos duplicados nos pacotes com o plugin third party Webpack.

Tree shaking melhorado

Tree shaking é o processo de remoção do código não utilizado ou inoperante dos pacotes configuráveis. Isso é importante principalmente ao utilizar as bibliotecas de utilitários como o Lodash, onde não precisamos de todos os recursos da biblioteca importada.

LEIA TAMBÉM:  Welcome to the Django: A arte de ser feliz programando

Service Workers e o PWA

Os web apps progressivos são confiáveis, rápidos e envolventes. São carregados rapidamente, mesmo com internet discada, e possuem alto desempenho. Foram criados usando as mais recentes tecnologias web e oferecem experiências semelhantes a aplicativos.

Prefetching

Prefetching é uma maneira de informar ao navegador sobre os recursos que provavelmente serão solicitados e buscá-los antes que sejam necessários. Isso é feito assim que os recursos necessários para a página atual são carregados e quando o navegador está ocioso. Para aplicativos renderizados no servidor, a API Push HTTP/2 possui suporte no Node.js.

Tornando aplicações React rápidas novamente

Após seguir as etapas deste artigo, conseguimos melhorar o desempenho geral das aplicações em mais de 60%, reduzindo o tamanho do pacote inicial de 7 MB para 230 KB, o tempo de carregamento total de 47 segundos para 19 segundos (4G lento) e o tempo de interação de 23 segundos a 15 segundos (4G lento), melhorando bastante a experiência do usuário para as aplicações.

O ecossistema React é vasto e poderoso. Podemos aproveitar as inúmeras ferramentas disponíveis para criar aplicações grandes e complexas. Acima, estão apenas algumas técnicas que podem tornar as aplicações rápidas e mais suaves. Definitivamente, o esforço adicional vale os benefícios de obter uma base de código de maior desempenho e mais sustentável.

Recomendamos: Aprenda React do Zero ao Profissional

Sobre o autor

Ilango Rajagopal é engenheiro de software sênior da Rocketium com mais de 4 anos de experiência na criação de aplicações web escaláveis. É talentoso no desenvolvimento de excelentes UI designs e gosta de descobrir novos sites. Em seu tempo livre, gosta de aprender sobre novas tecnologias, jogar e ler livros.

VOCÊ ESTÁ NAS SEÇÕES: MundoJS » React 

 

Powered by Rock Convert
Siga os bons!
Últimos posts por Ramos de Souza Janones (exibir todos)
vote
Article Rating