Pesquisa aponta que qualidade do código aberto é melhor que a do software proprietário

28 de fevereiro de 2012 0 Por Ramos de Souza Janones
Powered by Rock Convert

De acordo com a mais recente pesquisa da Coverity, chamada Coverity Scan Open Source Report, a qualidade do código aberto é igual ou melhor que a do software proprietário. A empresa, que está no seu terceiro relatório do setor, concluiu que a concepção de que código aberto livre possui qualidade inferior não deve ser considerada como uma razão válida para não adotá-lo.

O estudo investiga a integridade e a qualidade do código aberto e do software proprietário usando a plataforma de análise da Coverity, que procura por problemas nesses sistemas, como desreferenciação de apontador, variáveis não inicializadas, corrupção de memória ou problemas no controle de fluxo. A pesquisa não avaliou falhas encontradas em testes ou enquanto o software estava em uso.

Os resultados são baseados na análise mais de 37 milhões de linhas de código aberto e mais de 300 milhões de linhas de código de software proprietário. Pela primeira vez, a pesquisa incluiu código proprietário de usuários da Coverity, apesar de estarem anônimos. A amostra proprietária foi pega a partir de uma variedade de indústrias e tentativas de comparar idades de projetos com tempo de adoção dos vários projetos de código aberto.

LEIA TAMBÉM:  GitHub lança repositórios privados gratuitos para até três colaboradores

Os pesquisadores avaliaram o código de 45 grandes projetos de código aberto. Em média, eles possuíam 820 mil linhas de código e uma densidade de falha de 0.45, baseada no número de falhas por mil linhas de código.

Curso completo de Games, inclusive Realidade Aumentada.Powered by Rock Convert

Em contrapartida, no software proprietário, esse índice foi de 0,64. No seu estudo, a empresa examinou 41 dos desenvolvimentos de software de seus clientes, que, em média, incluíram 7.55 milhões de linhas de código. É válido ressaltar que a densidade de falha está abaixo do benchmark de alta qualidade de software da Coverity, que é de 1.0.

No anúncio de seu levantamento, a empresa destacou Linux 2.6, PHP 5.3 e PostgreSQL como projetos com excelente qualidade de código, chamando-os de “model citizens” (cidadãos modelos, em tradução livre). Segundo a empresa, a densidade de falha desses projetos é de 0.62, 0.20 e 0.21, respectivamente.

LEIA TAMBÉM:  Novo estudo patrocinado pela Oracle aponta a necessidade de mais segurança nos bancos de dados empresariais

Desenvolvedores de código aberto podem utilizar o Scan da Coverity através de um programa para qualificar software e organizações apropriadamente. A empresa pretende estender o serviço para outros projetos neste ano.

Com informações de The H

Ramos de Souza Janones

Janones, é um empreendedor brasileiro apaixonado por empreendedorismo e tecnologia. Ao longo dos anos trabalhando com o desenvolvimento de softwares desktop desde a linguagem Clipper, passando pelo Delphi e atualmente com Java.

Optou pela formação de Publicidade e Marketing por sua segunda empresa de tecnologia ter participado do "boom" da internet nos anos 90 e na procura de melhorar seus conhecimentos em negócios.

Em razão da principal formação e profundos conhecimentos em programação e banco de dados, é capaz de realizar o desenvolvimento de aplicativos web, desktop e mobile com maior criatividade e inovação que profissionais de desenvolvimento com uma formação única e mais especifica, dedicada somente ao desenvolvimento de softwares.

Com toda sua experiência com empresas de software, sua formação e paixão por negócios escreveu o livro "Marketing para Empresas e Profissionais de Software", publicado pela editora carioca Ciência Moderna em 2012. Além de outros livros sobre programação.