4ª revolução industrial – As competências em alta para 2020

4ª revolução industrial – As competências em alta para 2020

2 de novembro de 2019 0 Por Ramos de Souza Janones
Powered by Rock Convert

4ª revolução industrial: Pesquisa do World Economic Forum aponta que o profissional do futuro precisa ter conhecimento em algoritmos — mas inteligência emocional também vai ser indispensável

De acordo com pesquisa do Fórum Econômico Mundial, 35% das habilidades que hoje são consideradas essenciais vão mudar daqui a cinco anos. Para o ano que vem, em meio à 4ª revolução industrial, veremos a consolidação de uma série de tecnologias, tais como inteligência artificial, biotecnologia e robótica avançada. Com elas, será necessário apresentar novas competências, tais como alfabetização de dados, pensamento crítico e habilidades ligadas a tecnologia. As competências em alta para 2020 também incluem inteligência emocional, capacidade de se adaptar a diferentes culturas e colaboração.

As soft skills (habilidades emocionais e mentais) dos funcionários vão sendo mais valorizadas a cada dia. Não basta ter conhecimento técnico, é necessário saber lidar com as diferentes pessoas que cruzam seu caminho, saber ser um motivador, um mentor…. E não é porque você não tem um cargo de liderança que não precisa entender sobre gestão de pessoas e como extrair o melhor de cada um.

E, quando falamos da Transformação Digital ou da 4ª Revolução Industrial, necessariamente é preciso que se fale da Transformação Ágil. Isso por causa das mudanças no ambiente de trabalho e na forma de se relacionar com as pessoas. Elas são a base, o meio e o objetivo de tudo! E um ambiente colaborativo, com autonomia e auto-responsabilidade, no qual encontrem a felicidade, pode proporcionar um desempenho superior.

Leitura recomendada: Profissional 4.0: Como se destacar em um mundo de transformações exponenciais?

Conheça as 10 habilidades que as empresas vão exigir em 2020

1. Alfabetização de dados
O combustível da 4ª revolução industrial: dados. As empresas que não usam algoritmos, ficam para trás. Portanto, as corporações devem empregar funcionários com qualificação na área. 

2. Pensamento crítico
Serão valorizados os funcionários capazes de julgar a qualidade das informações, como discernir quais são confiáveis, falsas ou propagandas. Os profissionais serão responsáveis em avaliar as notícias e como elas devem ser confiadas e usadas pela empresa. 

Leia também:  

3. Habilidade em tecnologia 
Funcionários com habilidades em blockchaininteligência artificalInternet das Coisas, realidade virtual e aumentada, robótica e outras ferramentas digitais serão exigidas pelas empresas. 

4. Adaptação e flexibilidade
O mundo está mudando rapidamente, e os funcionários precisam se comprometer a aprender novas habilidades ao longo de suas carreiras. Além disso, eles devem ser flexíveis a novas ideias e maneiras de solucionar os problemas da empresa. 

5. Criatividade
Os algoritmos, as máquinas e os robôs funcionam bem, mas eles não conseguem ser criativos como os humanos. Por isso, é importante que os funcionários tenham criatividade para criar novos produtos e melhorias para a empresa. 

6. Inteligência emocional 
Outra área em que os humanos têm vantagem sobre as máquinas é a inteligência emocional. A capacidade de estar ciente, controlar e expressar as emoções será importante e valorizada pela empresa. 

Curso completo de Games, inclusive Realidade Aumentada.Powered by Rock Convert

7. Inteligência cultural e diversidade
As organizações são cada vez mais diversas e os funcionários eficazes devem respeitar as diferenças e trabalhar com pessoas de diferente raça, religião, idade, sexo e orientação sexual diferente. Além disso, as empresas estão operando cada vez mais além das fronteiras internacionais, o que significa que é importante que os funcionários saibam sobre outras culturas, idiomas, crenças políticas e religiosas. 

8. Habilidades de liderança
Habilidades de liderança será fundamental não só para aqueles que estão no topo de uma hierarquia corporativa tradicional, mas também para os funcionários de toda a empresa. Será importante compreender como trazer o melhor e inspirar todos da equipe a ter uma força de trabalho diversificada.

9. Julgamento e tomada de decisão 
As máquinas conseguem analisar os algoritmos numa velocidade superior a que os humanos conseguem, mas elas são incapazes de tomar decisões e analisar os dados com profundidade. Por isso, os funcionários capazes de fazer a leitura das informações para uma tomada de decisão serão valorizados pela empresa. 

10. Colaboração
No meio de tanta tecnologia, as empresas vão buscar por funcionários capazes de interagir bem com a equipe, que sejam capazes de compartilhar conhecimento para trazer bons resultados para a empresa. 

VOCÊ ESTÁ NAS SEÇÕES: » Startup e Sucesso » Carreira

Siga os bons!

Ramos de Souza Janones

Janones, é um empreendedor brasileiro apaixonado por empreendedorismo e tecnologia. Ao longo dos anos trabalhando com o desenvolvimento de softwares desktop desde a linguagem Clipper, passando pelo Delphi e atualmente com Java.

Optou pela formação de Publicidade e Marketing por sua segunda empresa de tecnologia ter participado do "boom" da internet nos anos 90 e na procura de melhorar seus conhecimentos em negócios.

Em razão da principal formação e profundos conhecimentos em programação e banco de dados, é capaz de realizar o desenvolvimento de aplicativos web, desktop e mobile com maior criatividade e inovação que profissionais de desenvolvimento com uma formação única e mais especifica, dedicada somente ao desenvolvimento de softwares.

Com toda sua experiência com empresas de software, sua formação e paixão por negócios escreveu o livro "Marketing para Empresas e Profissionais de Software", publicado pela editora carioca Ciência Moderna em 2012. Além de outros livros sobre programação.




Frontend Do Zero Ao Profissional